Obstáculos no Caminho do Amor

por Paramahamsa Prajnanananda
 

 

“Eu serei seu amigo a partir de agora, por toda a eternidade, não importa se você está no plano mental mais baixo ou no plano mais elevado da sabedoria, eu serei seu amigo, mesmo quando você errar, pois neste momento você precisará da minha amizade mais do que nunca.” Swami Shriyukteshwarji

A vida é uma trilha rochosa e montanhosa. O Caminho do Amor é ainda mais escorregadio e quem anda por este caminho deve ser muito cuidadoso. Viver uma vida cheia de amor é almejar a perfeição. Mas até alcançarmos este estado, é preciso atravessar muitos obstáculos e impedimentos. As dificuldades no Caminho do Amor não são realmente diferentes dos obstáculos gerais encontrados na vida espiritual, na prática da Yoga e da meditação. Ao identificá-los, eles são mais fáceis de serem reconhecidos e superados. Estes obstáculos são descritos nas escrituras iogues de diferentes formas.

EGO

O ego é o primeiro obstáculo. O ego é um estado da mente que leva à arrogância e à agressividade. Quando existe humildade existe amor, compaixão, tolerância e pureza. No início o ego tem uma aparência atraente, mas, por fim, ele se torna muito perigoso. Por que as pessoas são egoístas?

No Bhagavad Gita (XVI:18), há uma descrição das pessoas com qualidades egoístas:

ahankaram balam darpam kamam krodham ca samsrtah

mamatmaparadehesu pradvisanto’bhyasuyakah

Tendendo ao egoísmo, à força bruta, à arrogância, à luxúria e à raiva, estas pessoas maliciosas Me odeiam e duelam dentro dos seus próprios corpos assim como nos corpos dos outros.”

Num jardim existem muitos tipos de flores. Existem flores pequenas como bem-me-quer e há também rosas e flores de lótus. As flores possuem diferentes cores e tamanhos e cada uma tem uma fragrância particular e floresce em diferentes estações. Mas as flores não possuem ego.

Há uma história sobre dois cisnes que gostavam de nadar em um lago em particular. Eles se encontravam neste lago com tanta frequência que se tornaram amigos de uma tartaruga. Um dia os cisnes ouviram que o lago seria drenado e avisaram a tartaruga para que ela se mudasse para outro lugar, já que lá não era mais seguro. A tartaruga ficou triste porque não podia voar como os cisnes. Então os cisnes disseram que ambos poderiam segurar um pedaço de madeira e levariam a tartaruga pendurada pela boca, caso ela se segurasse com bastante força. O plano funcionou, mas quando a tartaruga percebeu que estava voando, ela se sentiu muito orgulhosa. Alguns pastores que estavam observando de baixo ficaram surpresos com a cena e disseram, “Se a tartaruga cair, faremos uma sopa ótima.” A tartaruga, ao ouvir isso, sentiu tanta raiva que abriu a boca para xingá-los e acabou caindo. O ego é a causa da raiva e da queda. 

CAUSAS DO EGO

Nós sentimos o ego devido à nossa natureza complexa. Temos tantos desejos e memórias reprimidas, que acabamos modificando nossa personalidade. Através desta complexidade, o ego se prolifera e com a simplicidade, o ego desaparece. Cinco coisas causam o ego: o ego da prosperidade, o ego do sexo, o ego da saúde, o ego da situação e da posição, e o ego da inteligência e da religião.

Ego da Prosperidade – Mesmo sendo um presente de Deus, as posses materiais desenvolvem um sentimento de orgulho e superioridade em muitas pessoas. O quão ricos podemos ser? Qual é o valor do dinheiro? O dinheiro é eterno? Quanto mais riquezas acumularmos, mais teremos que deixar para trás. Ao nascermos, não temos nada e iremos embora de mãos vazias. O dinheiro é útil, mas não deixe que ele governe a sua vida. Use as riquezas de forma inteligente.

Ego do Sexo – Deus criou o homem e a mulher à Sua própria imagem. Cada um tem uma função específica. O homem é maior do que a mulher ou a mulher é maior do que o homem? O homem e a mulher complementam um ao outro nesta bela criação de Deus. Um é incompleto sem o outro.

Ego da Saúde, Força e Beleza – A beleza é um atributo que herdamos do nosso karma passado, das nossas ações e também de nossos pais. É uma bênção divina. Mas a saúde, a força e a beleza não são permanentes. Toda flor é bela da sua própria maneira. Quem é forte hoje, com certeza não será amanhã. A saúde é ainda mais precária. Quando se prende a condições incertas, você cai com muito mais facilidade. Agradeça a Deus por aquilo que foi dado a você, em vez de levar ego para sua vida.

Ego da Situação e da Posição – Algumas pessoas estão tão envolvidas consigo mesmas que adoram a sua própria imagem e esperam ser elogiadas o tempo todo.

Em um mito indiano, havia um grande rei que ficou famoso por causa da sua generosidade. Ele dava tudo a todos que pediam. Aos poucos, o ego se desenvolveu. A caridade deve ser feita com humildade e devoção. A caridade feita com ego leva à queda. Vishnu desejou esmagar o ego do rei e encarnou como Vamana, um belo rapaz brâmane que, aos vinte anos de idade, foi até o rei pedir uma coisa. O rei perguntou o que ele desejava. O rapaz respondeu humildemente que queria apenas um pedaço de terra que medisse três passos dados com os seus próprios pés. O rei ficou surpreso e sorriu. “Eu poderia dar a você todo o meu reino,” disse o rei. “Você deveria me pedir mais coisas.” “Três passos é tudo o que eu quero,” respondeu o rapaz. O rei concordou. Então, para a sua surpresa, o primeiro passo do jovem cobriu toda a terra. O rei ofereceu o céu e o segundo passo do jovem cobriu todo o céu. Nada sobrou para o seu último passo e então o rei ofereceu a sua cabeça para que o jovem pudesse apoiar seus pés. O Senhor Vishnu, satisfeito com a submissão do rei, disse-lhe que garantiria a ele qualquer pedido, e então o rei, humilde, pediu para ser seu porteiro. Com os pés de Vishnu em sua cabeça, o ego do rei foi esmagado.

Ego da Religião – Swami Vivekananda declarou uma vez, com grande abertura de espírito, “Que existam tantas religiões quanto o número de seres humanos nesta terra. Que cada um seja forte com amor e devoção. A religião é o estado de união com o Divino. A religião é a realização da perfeição que já existe no homem.”

Infelizmente, devido aos sentimentos de desunião, ignorância e arrogância, a intolerância religiosa existe há séculos. Judeus, cristãos, hindus e muçulmanos não aceitam a fé e as crenças uns dos outros. Este sentimento de superioridade complexo tem sido a causa de muitas guerras e derramamento de sangue. O ego religioso tem destruído muitas vidas inocentes em nome de Deus.

O ego é o maior obstáculo da espiritualidade e do Caminho do Amor. Como nos livrar do ego? Eleve seu ego até o infinito ou reduza-o a nada. Mas não fique no meio. Quando você compreender inteiramente a sua unidade com Deus, este será o caminho que o levará a aumentar seu ego até o infinito.

Nas escrituras védicas foi dito, Aham brahmasmi ou ‘Eu sou Brahman.’ Na Bíblia foi dito, ‘Eu e o meu Pai somos um.’

Isto é o ego supremo. Você também pode eliminar seu ego, através do amor e da humildade, e reduzi-lo a nada. Na verdade, elevar o ego ao infinito ou reduzi-lo a nada, são a mesma coisa.

A INFLUÊNCIA DOS HÁBITOS ALIMENTARES

Um médico ayurvédico trata as pessoas olhando para os três doshas. Vata, pita e kapha. Vata significa gases, pittasignifica a bile e kapha significa tosse ou muco. As pessoas com vata são mais inquietas e têm problemas de gases. Pessoas com problemas de pitta são nervosas e agressivas e sofrem de problemas digestivos. Pessoas com kapha são lentas, ociosas e tendem a ter resfriado ou tosse. Quem tem equilíbrio nos três dashas, possui a bênção da saúde e do bem-estar.

Os alimentos que ingerimos contêm também estes três tipos de doshas. Alguns causam gases enquanto outros causam tosse ou indigestão. Então é preciso ser cuidadoso ao selecionar aquilo que é benéfico para a saúde.

Da mesma forma, na vida espiritual, há defeitos causados pelos três gunas. São as tendências tamásica, rajásica e satívica. A natureza tamásica causa sono, letargia, dúvida e confusão. A natureza rajásica leva à atividade extrema e à inquietação. A natureza satívica promove a calma e o equilíbrio.

O tipo de alimento que nós comemos possui uma grande influência nas nossas tendências. A comida pode ser classificada como tamásica, rajásica e satívica.

O Chandogya Upanishad declara, ahara suddhau sattva suddhi, sattva suddhau dhruva smrti

Dhuva smruti é boa memória. O poder da memória deve aumentar na vida material e espiritual. Que tipo de comida é boa?

O Taittiriya Upanishad diz:  Adyate’tti ca bhutani, tasmat annam taducyata. Nós comemos o alimento e o alimento nos come.

Assim, o alimento que comemos possui uma grande influência na nossa tranquilidade. A comida é usada de três formas. A maioria é descartada, enquanto uma parte nutre o corpo. Uma parte sutil influencia a mente. Se comemos muito iogurte, por exemplo, ou carne, a nossa mente fica lenta e preguiçosa, já que a maior parte da energia é usada para digerir as proteínas pesadas. Por outro lado, se bebermos muita cafeína, a mente fica nervosa e agitada.

Outra forma de olhar para o que comemos é não ver apenas a comida, mas também o que entra e sai dos nossos órgãos dos sentidos. Aquilo que olhamos e o que ouvimos, pode ser considerado ‘alimento’ e possui uma influência em nossos pensamentos e na nossa mente. O alimento deve ser dado aos sentidos de uma maneira positiva, com o propósito de elevar e enriquecer o nosso amor e a nossa devoção por Deus.

Quem ama Deus verdadeiramente e que anda no Caminho do Amor, acredita que toda a beleza que vemos é um reflexo de Deus. Esta consciência faz com que apreciemos a vida cada vez mais. Tanto quanto possível, agradeça a Deus por todos os presentes que ele tem lhe dado. Ouça boa música, que seja rica e inspiradora. Tudo o que você comer, ofereça a Deus. Esta atitude possui uma grande influência purificadora. Não coma demais. Use cada órgão dos sentidos com muito amor por Deus.

PREGUIÇA OU INATIVIDADE (Styana)

Devemos ser fortes para superar a preguiça. Para chegar ao trabalho na hora certa, levante-se na hora certa. Ao desligar o despertador, se o seu corpo e a sua mente não cooperarem, você se atrasará e precisará correr. As horas da manhã devem ser usadas para fazer o máximo de coisas possível, de forma calma e organizada. Não há garantia do que acontecerá amanhã. Administre o trabalho a ser feito e não deixe para depois. Prorrogar uma tarefa é um sinal de fraqueza. Não deixe de lado sua meditação. Pratique-a regularmente, todos os dias, de maneira sistemática e disciplinada.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: