Archive for the ‘reflexão’ Category

A Ignorância Causa o Medo

25/08/2014
por Paramahamsa Prajnanananda

O medo nasce da ignorância. Ignorar nossa verdadeira identidade nos faz ignorar o relacionamento com nosso corpo, assim como nosso relacionamento com os outros. O medo também se manifesta devido à ignorância com relação ao destino final do nosso corpo e aos problemas relacionados à saúde e às doenças. O medo é como a escuridão em uma sala. Quando a sala está escura, é preciso apenas acender a luz e a escuridão desaparece. Da mesma forma, é preciso apenas acender a luz do conhecimento para livrar a pessoa do medo. O medo vai embora quando confiamos em Deus e compreendemos que somos seres divinos. Estando Deus em você, você nunca está sozinho. Logo, por que você deveria estar preocupado?

O medo da velhice, das doenças e da morte nos atormenta. Esta é realmente a maneira como desejamos viver? O medo nos enfraquece. Quando deixamos o medo entrar em nossas mentes e corações, somos capturados pela sua ação paralisante. No entanto, este não precisa ser o nosso destino. Existe uma forma de sair da ignorância e aprender como viver sem medo, como viver na verdade e em Deus continuamente.

A Escuridão Cria Confusão

Eu nasci em um vilarejo indiano que não tinha eletricidade. A maior parte das casas tinha telhados de palha que precisavam ser reparados todos os dias, usando palha e cordas feitas de palha. Este trabalho era feito normalmente no verão, durante os meses de Abril e Maio, quando muitas cobras costumavam aparecer devido ao intenso calor. Certa noite, após o pôr do sol, quando eu voltava para casa, vi uma cobra no caminho. Cheio de medo, gritei, “cobra, cobra!” Ao me ouvir, o empregado da casa saiu com uma lamparina na mão até o local onde eu estava. Com a luz da lamparina, descobrimos que a cobra era na verdade um pedaço de corda caído no meio da estrada. No escuro, a corda parecia ser uma cobra, e com a luz, a verdade foi revelada, e o meu medo da cobra imediatamente desapareceu. Quando estava escuro, o meu coração batia forte e o meu corpo tremia, mas quando havia luz, o meu medo se foi juntamente com a escuridão. De onde veio o meu medo? Qual foi a causa do meu medo? Sem dúvida a causa do medo era a ignorância. O meu medo resultou da escuridão, que me fez ver as coisas de forma incorreta.  Se eu estivesse andando na estrada à luz do dia, eu teria visto as coisas de forma correta; eu não teria medo da corda de palha, que acabei confundindo com uma cobra.

Confusão, dúvida e medo aparecem quando não há luz suficiente. Quando há luz, você pode ver tudo claramente. Por outro lado, quando está completamente escuro, você não pode ver nada. Quando não há nada para ser visto, não há nada para ser confundido, nada a temer. A confusão acontece na penumbra quando é possível ver algo, mas sem clareza. No exemplo acima, duas coisas aconteceram causando o medo. Primeiro, a corda não pareceu ser aquilo que era e, como resultado, foi percebida incorretamente como uma cobra. Em nossas vidas, somos frequentemente tomados pelo medo porque não vemos as coisas como elas realmente são. Assim, o primeiro erro que cometemos é não ter um correto entendimento da situação. O segundo é que projetamos a nossa imaginação e apreensão na situação, e tomamos conclusões incorretas. Estes erros são corrigidos ao iluminarmos o material, assim como na luz a cobra tornou-se uma corda. A habilidade de ver os nossos erros é importante, porque nós somos os únicos capazes de corrigi-los. A luz que nós precisamos é a luz do conhecimento, do amor e do entendimento; porque com conhecimento, amor e entendimento, libertamos a nós mesmos das nossas ilusões e dos nossos medos. Só assim podemos viver livremente.

Embora possamos nos tornar mais fortes ao compreendermos que a corda não é uma cobra, o medo de cobras ainda permanece na nossa mente. Por não termos conhecimento da nossa verdadeira identidade e do propósito desta criação, projetamos a nós mesmos como sendo algo diferente daquilo que realmente somos. Isso nos leva a ter um relacionamento diferente com o Criador e a Criação, que, por sua vez, leva ao medo. Por exemplo, por que devemos ter medo de cobras? Tudo o que existe na criação de Deus, e mesmo as cobras, tem sua beleza e um papel especial. Nós esquecemos isso e somos tomados pelo medo de que as cobras são venenosas e que podemos morrer com a sua picada. Este medo pode nos consumir. Cobras venenosas e outras criaturas normalmente não atacam se não as perturbarmos. Então, mesmo quando o medo de ser atacado possa ser compreensível, não é razoável assumir que sempre seremos atacados.

Havia um homem santo que vivia em um ashram, em Brindavan, que dividia o seu quarto com uma cobra. Numa noite escura de verão, ele se aproximou do seu pote de água. Quando ele tocou o pote, sentiu o corpo da cobra enrolado ao redor do pote. Ele disse calmamente, “Minha amiga, eu preciso beber um pouco de água.” A cobra se afastou. Quando ele terminou de beber, disse, “minha amiga, eu terminei de beber a água então, você pode voltar.” A cobra voltou para o pote de água. Ela permaneceu pacificamente com o homem por alguns dias, até que o dirigente do ashram entrou no quarto, viu que havia uma cobra lá e correu. Ao descobrir que o homem estava vivendo com uma cobra por muitos dias, o dirigente do ashram pediu que ele se mudasse para outro lugar.

Escuridão é ignorância, e na escuridão não há existência. Ou seja, quando está completamente escuro não vemos nada e não estamos conscientes do que está a nossa volta. Por exemplo, se uma pessoa nunca viu ou ouviu falar sobre tigres e não conhece a sua natureza, ela não sentirá medo ao ver um tigre. Se não existe conhecimento algum, não há motivo para temer.

Anúncios

AMOR ou SOFRIMENTO

18/11/2010

“Existe um amor, mas é com ciúmes.
No entanto, não é amor, é causa de sofrimento.
Existe um amor, mas é com a Ira.
No entanto, não é amor, é causa de sofrimento.
Existe um amor, mas é com o ego.
No entanto, não é amor, é causa de sofrimento.
Existe um amor, mas é com apego.
Portanto, não é amor, é causa de sofrimento”

(Lama Norbu desde a Grande Montanha CB)

Inspiração

21/10/2010

Precisamos de inspiração para nos motivar na vida.

Uma poesia pode ser uma inspiração, assim como esta foi para ajudar um grande homem a suportar 27 anos preso num cubículo. Invictus significa invencível.

Invictus

Dentro da noite que me rodeia
negra como um poço de lado a lado
eu agradeço aos deuses que existem
pela minha alma indomável

Nas garras cruéis da circunstância
eu não tremo ou me desespero
E sob os duros golpes da sorte
minha cabeça sangra, mas não se curva

Além deste lugar de raiva e choro
paira apenas o horror da sombra.
E ainda assim a ameaça do tempo
vai me encontrar e deve me achar destemido

Não importa se o portão é estreito
não importa o tamanho do castigo.
Eu sou dono do meu destino
eu sou capitão de minha alma

Extraído do filme Invictus, com Morgan Freeman no papel de Nelson Mandela. O poema é atribuído ao ex-presidente sul-africano, que o teria escrito para suportar os 27 anos de prisão por sua luta contra o apartheid. Imperdível.

http://acrebaldo.blogspot.com/2010/10/capitao-de-minha-alma.html

Essa foi a versão em português retirada do filme, que particularmente gostei mais do que esta: http://www.casadacultura.org/Literatura/Poesia/g12_traducoes_do_ingles/invictus_henley_masini.html Mas essa última é bonita tb, palavras diferentes mas gostei mais do sentido da primeira.

A propósito, assistam o filme Invictus, muito bom! Algumas curiosidades: http://vilamulher.terra.com.br/silvinha10/i-n-v-i-c-t-u-s-9-3941564-68363-pfi.php

Borboletas

15/10/2010

Quando depositamos muita confiança ou expectativas em uma pessoa, o risco de se decepcionar é grande.

As pessoas não estão neste mundo para satisfazer as nossas expectativas, assim como não estamos aqui, para satisfazer as delas.

Temos que nos bastar…

Nos bastar sempre e quando procuramos estar com alguém, temos que nos conscientizar de que estamos juntos porque gostamos, porque queremos e nos sentimos bem, nunca por precisar de alguém.

As pessoas não se precisam,

Elas se completam…

Não por serem metades, mas por serem inteiras dispostas a dividir objetivos comuns, alegrias e vida.

Com o tempo, você vai percebendo que para ser feliz com a outra pessoa, você precisa em primeiro lugar, não precisar dela.

Percebe, também, que aquela pessoa que você ama (ou acha que ama) e, que não quer nada com você, definitivamente, não é o homem ou a mulher de sua vida.

Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e principalmente a gostar de quem gosta de você.

O segredo é não cuidar das borboletas e sim cuidar do jardim para que elas venham até você.

No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, mas quem estava procurando por você!”

(Mário Quintana)

Luz e paz

EM TEU JARDIM!

(recebido  via e-mail, num momento oportuno!)

Como Fazer Acontecer

04/08/2010

“Coloque as ideias em ação. Lembre-se de que uma ideia razoável colocada em ação é muito melhor que uma grande ideia arquivada.”

20 Caminhos para um efetivo fazer acontecer

1. Visualize com detalhes, como se tudo já estivesse realizado. Imagine com detalhes o estado desejado. Essa imagem cristalina é algo que irá naturalmente orientá-lo quanto ao que deve ser feito (como começar etc.)

2. Dê rapidamente o 1º passo. Confie nos “lampejos” que você tem. Se você sente confiança interior (não pense em explicar) aja sem hesitação e dê o primeiro passo. A natureza fará a seqüência acontecer (outros passos seus e de outras pessoas que você toca no primeiro movimento).

3. Faça tudo “de corpo e alma”. Não seja “morno” “fazendo por fazer”. Até o “impossível” se torna possível quando nos envolvemos integralmente.

4. Faça tudo com muita boa vontade e prazer. As probabilidades de dar certo aumentam tremendamente quando fazemos tudo com a mente alegre.

5. Seja otimista. Não se deixe influenciar pelos cínicos e pelos pessimistas. Ajude a construir o ideal, a cada dia dando o passo do dia.

6. Concentre-se nos seus pontos fortes. Ao invés de se deixar bloquear por eventuais pontos fracos, ancore-se no que você tem de melhor.

7. Concentre energia. Evite desperdiçar energia fazendo as coisas “de forma picada”, ou começando muitos projetos sem nada concluir.

8. Decole e vá aperfeiçoando em pleno vôo. Planeje o suficiente. Evite “afogar-se” em planejamentos que nunca terminam ou planos que nunca saem do papel.

9. Esteja sempre focado na busca de soluções. Use sua energia na busca de soluções ao invés de desperdiçá-la lucubrando somente sobre problemas.

10.  Crie condições favoráveis. Procure trabalhar as barreiras positivamente até que elas se enfraqueçam ou desapareçam ao invés de tentar atravessá-las à força.

11.  Seja natural. Não seja derrotado pelo “excesso de esforço”.
Faça o que tem que ser feito e mantenha a tranqüilidade interior. Dê espaço para a natureza também fazer a sua parte…

12.  Pense sempre nos riscos e nas recompensas. Não se deixe imobilizar pelos riscos. Equilibre-se sempre tentando visualizar as recompensas possíveis. Uma vez que o balanço lhe pareça equilibrado, aja conforme sua intuição.

13.  Neutralize os “palpiteiros inconseqüentes”. Não se deixe influenciar por “opiniões” irresponsavelmente colocadas pelos outros. Aprenda a distinguir conselhos sábios, bem intencionados de comentários “rotineiramente” jogados pelas pessoas.

14.  Evite lucubrar. Não desperdice energia lucubrando demais, principalmente se forem especulações negativas. Ao invés disso, comece a caminhar, mesmo através de um pequeno passo. (lucubrar: dedicar-se a longos trabalhos intelectuais)

15.  Seja transparente. Nem sequer pense desonestamente, pois isso drena sua energia. (Já imaginou quanto de energia gastamos, para “proteger” a mentira contada ontem?). Ser transparente multiplica energia. Energia que faz acontecer.

16.  Seja generoso. “A generosidade move montanhas”. As coisas fluem melhor à sua volta porque a generosidade faz agir. “Picuinhas”, ao contrário, imobilizam as pessoas.

17.  Aja sempre numa postura ganha-ganha. Evite a postura do tirar vantagem de tudo. Aja pensando em benefícios para todos. As coisas passam a acontecer com mais fluidez.

18.  Confie 100% em sua força interior. Fazer acontecer exige fé. Principalmente em si mesmo. É essa convicção que o deixa solto para fazer o que é necessário.

19.  Busque excelência, sempre. Um fazer acontecer efetivo deve sempre estar ancorado na busca do melhor, do perfeito, do ideal. Quão próximos chegaremos à perfeição é outra coisa. O alvo, porém, deve sempre ser a perfeição.

20.  Chute acomodação e “imobilismo” para longe de você. A capacidade de fazer acontecer é algo para ser aperfeiçoado pela vida toda. Não se acomode. Procure sempre melhorar seu próprio recorde.

Créditos: Tilibra

—x—x

Queria ter feito uma montagem tipo slides só que em video, mas tá mt corrido e isso demanda temmmpo. Mas qd rolar eu posto 😉

Espero ter ajudado! Eu tava precisando mt de ler esse texto!

Bjks!!!

Como está sua Autoestima?

26/07/2010

Autoestima é a opinião e o sentimento que cada pessoa tem por si mesma; é a capacidade de respeitar, acreditar e amar a si mesma. A autoestima é um trabalho diário e exige dedicação na mesma proporção que se dá aos filhos, ao companheiro, ao conhecimento, à carreira, à saúde e à beleza.

Para manter a autoestima, faça a si mesma o que você faz aos outros: incentivar, admirar, elogiar, desejar o melhor, tratar bem, com carinho e atenção. Ao se proteger, você preserva sua dignidade, não permitindo abusos. Se alguém te “atacar”, terá forças para reverter o problema a tempo, pois quem tem autoestima reconhece sua capacidade e confia nela.

A autoestima elevada é a condição vivida por pessoas que são elogiadas, apoiadas, autoconfiantes, que têm amor próprio, não vivem em conflito e não são ansiosas e inseguras. A baixa autoestima é o sentimento que se manifesta em pessoas inseguras, criticadas, indecisas, depressivas e que buscam sempre agradar outras pessoas.

Baixa Autoestima

A baixa autoestima revela uma pessoa que não expressa os seus sentimentos, que os guarda a sete chaves. Na tentativa de ocultar os seus sentimentos para os outros, ela acaba tornando-se mentirosa para si mesma.

Quais são as características mais comuns dessas pessoas?

  • Possuem tendências perfeccionistas e precisam se sentir no controle de tudo o que acontece a sua volta — o que provoca altos níveis de stress.
  • Tendem a ser negativas.
  • Preocupam-se demais com o que os outros vão pensar dela.
  • Geralmente estão acima do peso normal.
  • Culpam os outros pelos seus problemas.
  • Têm pouca concentração e geralmente são causadores de problemas.
  • Não pensam em si, somente nos outros.
  • Evitam emitir suas opiniões, gostos, valores, pensamentos e sentimentos.

Perde-se a autoestima quando se passa por muitas decepções, frustrações; ou em situações de perda, ou quando não se é reconhecido por nada. Também quando não somos valorizados ou nunca recebemos elogios.

Mas o que fazer para não perder a autoestima?

O que nos abala na realidade não é a falta de reconhecimento por parte de alguém, mas principalmente a falta de reconhecimento por nós mesmos! Na realidade, o que vale é a sua opinião sobre si mesma! Deste modo, sua autoestima é determinada por você mesma: por isso, pare de culpar seus pais, parentes, amigos ou colegas pela deterioração da sua auto- imagem. Quem tem que se preocupar com ela é você, não os outros; não permita que eles a contaminem.

Ame-se, preocupe-se com você, construa seu amor próprio e seja verdadeira com si mesma. Aceite seus defeitos, seja otimista; cuide do seu corpo, saúde, cabelos — cuide da sua beleza e encare a vida de cabeça erguida. Lembre-se: a sua vida é para você.

Retirado do Blog Beleza e Saúde.

>> Celisa, amei o post, tive que transcrevê-lo, inclusive com as mesmas imagens! Mas está dado o devido crédito à vc e seu maravilhoso blog 😉 Bjosss